Mocambique: Arranca programa de apoio à certificação de PMES

O projecto Mozambique LNG, liderado pela Anadarko, em parceria com o Instituto para Promoção de Pequenas e Médias Empresas (IPEME), iniciou o programa de apoio à certificação de pequenas e médias empresas (PMEs) no país.

O programa surge na sequência do compromisso assumido durante o lançamento do Seminário de Oportunidades Locais (SOL), em Agosto do ano passado, na cidade de Pemba, capital da província de Cabo Delgado.

O contrato para apoio à formação de empresas locais e ao desenvolvimento de sistemas e procedimentos necessários para certificação foi adjudicado à Energy Works, uma empresa moçambicana dedicada à implementação de padrões de gestão internacionais, refere um comunicado conjunto do IPEME e Anadarko.

O director geral do IPEME, Claire Mateus Zimba, afirmou que “com esta acção voltada ao apoio estratégico ao fortalecimento da estrutura competitiva das PME nacionais no acesso ao mercado, está-se a responder com serenidade e de forma concreta, por um lado, ao memorando de entendimento celebrado este ano com a Anadarko e, por outro, a cumprir-se com um dos compromissos da actual agenda governativa no referente à inclusão empresarial local”.

Zimba acrescenta que, deste modo, “estão lançadas as bases para o arranque e implementação sustentável da verdadeira qualificação empresarial, onde a profissionalização na gestão e modernização produtiva tem no processo da certificação um activo relevante para a contínua melhoria da competitividade das PME moçambicanas.”

Já Steve Wilson, Vice-Presidente e director geral da Anadarko em Moçambique, disse “este é um marco importante nos nossos esforços visando o empoderamento das empresas locais no país e, evidentemente, isto só foi possível graças ao apoio contínuo do governo moçambicano em todo este processo”.

Por isso, diz que como culminar do concurso lançado em finais do ano passado, já foi adjudicado o contrato à empresa que irá apoiar no treinamento de empresas moçambicanas para a certificação em padrões internacionais, aumentar a sua capacidade e competitividade para acesso às oportunidades oferecidas pelo projecto Mozambique LNG, bem como a outras oportunidades existentes na indústria de petróleo e gás, no geral.

Refira-se que no início do mês passado, o Presidente da República, Filipe Nyusi, lançou no distrito de Palma, em Cabo Delgado a primeira pedra do Projecto Mozambique LNG-Gás Natural Liquefeito do consórcio liderado pela Anadarko.

O projecto está orçado em 25 mil milhões de dólares americanos a serem financiados em 14 mil milhões de dólares por fundos bancários, e em 11 mil milhões de dólares por capitais próprios dos accionistas da concessão.

O projecto fica localizado na área onde a Anadarko e seus parceiros descobriram aproximadamente 75 triliões de pés cúbicos (tcf) de gás natural recuperáveis na Área Offshore 1, bacia do Rovuma.

As projecções da Anadarko indicam que o início da exportação de gás natural deverá ocorrer nos finais de 2014 ou início de 2025

A Anadarko Moçambique Área 1 Lda., uma subsidiária integral da Anadarko Petroleum Corporation, é a operadora da Área 1 Offshore com uma participação de 26,5 por cento. O co - empreendimento inclui a ENH Rovuma Área Um, S.A. (15 por cento), Mitsui E&P Mozambique Area1 Ltd. (20 por cento), ONGC Videsh Ltd. (10 por cento), Beas Rovuma Energy Mozambique Limited (10 por cento), BPRL Ventures Mozambique B.V. (10 por cento) e PTTEP Mozambique Area 1 Limited (8,5 por cento).
(AIM)
Sg/

18 Set 2019 0 comment  

O projecto Mozambique LNG, liderado pela Anadarko, em parceria com o Instituto para Promoção de Pequenas e Médias Empresas (IPEME), iniciou o programa de apoio à certificação de pequenas e médias empresas (PMEs) no país.

O programa surge na sequência do compromisso assumido durante o lançamento do Seminário de Oportunidades Locais (SOL), em Agosto do ano passado, na cidade de Pemba, capital da província de Cabo Delgado.

O contrato para apoio à formação de empresas locais e ao desenvolvimento de sistemas e procedimentos necessários para certificação foi adjudicado à Energy Works, uma empresa moçambicana dedicada à implementação de padrões de gestão internacionais, refere um comunicado conjunto do IPEME e Anadarko.

O director geral do IPEME, Claire Mateus Zimba, afirmou que “com esta acção voltada ao apoio estratégico ao fortalecimento da estrutura competitiva das PME nacionais no acesso ao mercado, está-se a responder com serenidade e de forma concreta, por um lado, ao memorando de entendimento celebrado este ano com a Anadarko e, por outro, a cumprir-se com um dos compromissos da actual agenda governativa no referente à inclusão empresarial local”.

Zimba acrescenta que, deste modo, “estão lançadas as bases para o arranque e implementação sustentável da verdadeira qualificação empresarial, onde a profissionalização na gestão e modernização produtiva tem no processo da certificação um activo relevante para a contínua melhoria da competitividade das PME moçambicanas.”

Já Steve Wilson, Vice-Presidente e director geral da Anadarko em Moçambique, disse “este é um marco importante nos nossos esforços visando o empoderamento das empresas locais no país e, evidentemente, isto só foi possível graças ao apoio contínuo do governo moçambicano em todo este processo”.

Por isso, diz que como culminar do concurso lançado em finais do ano passado, já foi adjudicado o contrato à empresa que irá apoiar no treinamento de empresas moçambicanas para a certificação em padrões internacionais, aumentar a sua capacidade e competitividade para acesso às oportunidades oferecidas pelo projecto Mozambique LNG, bem como a outras oportunidades existentes na indústria de petróleo e gás, no geral.

Refira-se que no início do mês passado, o Presidente da República, Filipe Nyusi, lançou no distrito de Palma, em Cabo Delgado a primeira pedra do Projecto Mozambique LNG-Gás Natural Liquefeito do consórcio liderado pela Anadarko.

O projecto está orçado em 25 mil milhões de dólares americanos a serem financiados em 14 mil milhões de dólares por fundos bancários, e em 11 mil milhões de dólares por capitais próprios dos accionistas da concessão.

O projecto fica localizado na área onde a Anadarko e seus parceiros descobriram aproximadamente 75 triliões de pés cúbicos (tcf) de gás natural recuperáveis na Área Offshore 1, bacia do Rovuma.

As projecções da Anadarko indicam que o início da exportação de gás natural deverá ocorrer nos finais de 2014 ou início de 2025

A Anadarko Moçambique Área 1 Lda., uma subsidiária integral da Anadarko Petroleum Corporation, é a operadora da Área 1 Offshore com uma participação de 26,5 por cento. O co - empreendimento inclui a ENH Rovuma Área Um, S.A. (15 por cento), Mitsui E&P Mozambique Area1 Ltd. (20 por cento), ONGC Videsh Ltd. (10 por cento), Beas Rovuma Energy Mozambique Limited (10 por cento), BPRL Ventures Mozambique B.V. (10 por cento) e PTTEP Mozambique Area 1 Limited (8,5 por cento).
(AIM)
Sg/

Temos 224 visitantes e Nenhum membro online

Contacte-nos

Rua da Rádio - 112 - 5º Andar - Caixa Postal 896
+258 21313225/6
+258 21 313196