Renamo distancia-se dos ataques em Sofala

04 Nov 2019 0 comment  

A Renamo, maior partido da oposição em Moçambique, reitera o seu distanciamento dos ataques armados recentemente havidos na província de Sofala, centro de Moçambique.

O facto foi expresso pelo porta-voz do partido, José Manteigas, que falava hoje numa conferência de imprensa, em Maputo, na qual a Renamo manifestou repúdio em face da decisão tomada pelo governo de começar a saldar as chamadas “dívidas ocultas”, não obstante terem sido declaradas inconstitucionais, pelo Conselho Constitucional.

Segundo Manteigas, as forças residuais da Renamo estão na serra da Gorongosa onde esperam serenamente pelo processo da Desmobilização, Desarmamento e Reintegração (DDR).

“As forças residuais da Renamo estão em Gorongosa e todos os moçambicanos sabem isso, e esperam serenamente pelo processo da desmobilização, desarmamento e reintegração social”, disse a fonte, anotando que a força política distanciou-se dos actos praticados pelos concidadãos responsáveis pelo sucedido.

Manteigas reiterou que a Renamo não tem nada a ver com o que está a acontecer e lamenta as declarações feitas pelo porta-voz da PRM, Orlando Mudumane, que “apareceu em público a acusar o partido da oposição de forma irresponsável e caluniosa”.

O edifício do posto policial de Metuchira, distrito de Nhamatanda, em Sofala, ficou com as paredes crivadas de balas, na sequência dos disparos protagonizado por indivíduos a monte e que para além de assassinar um agente quebraram os vidros da infra-estrutura.

O ataque ao posto policial constitui o terceiro em menos de uma semana em Sofala com o registo de cinco mortos, dois dos quais agentes da polícia.
(AIM)
LE/mz
(AIM)

Temos 237 visitantes e Nenhum membro online

Contacte-nos

Rua da Rádio - 112 - 5º Andar - Caixa Postal 896
+258 21313225/6
+258 21 313196